Mortalidade Infantil – 2017

Por ocasião do 40º aniversário da Fundação Seade, a ser celebrado em dezembro de 2018, está sendo divulgado o número 3 de 2018 da série SP Demográfico, que traça um panorama sobre a evolução centenária das estatísticas vitais do Estado de São Paulo, produzidas a partir das informações enviadas mensalmente ao Seade pelos Cartórios de Registro Civil de todos os municípios paulistas. Nesse espaço é apresentada uma síntese especial com destaque à mortalidade infantil. No ano de 2017, no Estado de São Paulo, foram registrados 6.569 óbitos de crianças menores de um ano, resultando em taxa de mortalidade infantil de 10,74 óbitos por mil nascidos vivos, índice ligeiramente menor que em 2016, quando foi de 10,91 por mil. Esse indicador passou por reduções expressivas desde 1900. De fato, observa-se no Gráfico 1 que a taxa de mortalidade infantil saiu de altos índices no início do século XX, oscilando em torno de 150 e 250 óbitos de menores de um ano por mil nascidos vivos, para tendência de queda contínua a partir da década de 1940. Apesar do aumento verificado entre o final dos anos 1960 até meados dos anos 1970, ela volta a diminuir sistematicamente, atingindo níveis quase estáveis nos anos mais recentes.

População residente, nascidos vivos, óbitos infantis e taxa de mortalidade infantil
Departamentos Regionais de Saúde - DRSs e municípios
Taxas de mortalidade infantil
Departamentos Regionais de Saúde - DRSs e municípios
Taxas de mortalidade infantil, por idade
Departamentos Regionais de Saúde - DRSs e municípios
Nascidos vivos, nascidos mortos, óbitos neonatais precoces e perinatais e taxas de mortalidade
Departamentos Regionais de Saúde - DRSs e municípios
Nascidos vivos, óbitos de menores de 5 anos e taxa de mortalidade na infância
Departamentos Regionais de Saúde - DRSs e municípios
Estado de São Paulo